Energy Capital & Power
  • Conteúdo multimédia

  • Imagens (1)
    • Cinco Razões pelas quais a Bacia MSGBC é um Importante Destino para Investimento (Por Miguel Artacho)
  • Todos (1)
Fonte: Energy Capital & Power |

Cinco Razões pelas quais a Bacia MSGBC é um Importante Destino para Investimento (Por Miguel Artacho)

Em anos recentes, todos os países da Bacia MSGBC tem escalado rankings globais devido a melhorias contínuas em seus ambientes de negócios

A Bacia MSGBC é a luz da exploração africana em função da escuridão recente que a indústria sofreu

DAKAR, Senegal, 13 de outubro 2021/APO Group/ --

Por Miguel Artacho, Editor de Campo

Desde quando grandes descobertas de petróleo e gás ocorreram em águas costeiras do Senegal e da Mauritânia entre 2014-2017, toda a região MSGBC - composta por Mauritânia, Senegal, Gâmbia, Guiné Conacri e Guiné Bissau - tem recebido um crescente interesse por parte de investidores internacionais. Há várias razões pelas quais a região MSGBC está posicionada de forma favorável para competir por novos investimentos diretos estrangeiros (IDE), não somente no setor em expansão de petróleo e gás, mas também em outros, incluindo os de energia renovável, mineração, pesca, agricultura, turismo e de serviços.

Exploração de Hidrocarbonetos

Em 2014, a indústria do petróleo e gás passou por uma recessão e os preços globais do petróleo bruto baixaram vertiginosamente - e mais recentemente a indústria foi abalada pela atual pandemia da COVID-19. Mas no meio destes desafios (https://bit.ly/3p0DGto), os países da Bacia MSGBC foram uma exceção. De acordo com a empresa especializada em mapeamento sísmico e geológico TGS:  “A Bacia MSGBC é a luz da exploração africana em função da escuridão recente que a indústria sofreu. Aquela luz, ou melhor holofote, foi lançado sobre a região através das recentes descobertas de classe internacional no Senegal e na Mauritânia.”

Estes sucessos recentes de exploração nas águas costeiras do Senegal e Mauritânia serviram como catalisadores para atrair interesse e levou um crescente número de países a conduzirem pesquisas sísmicas e atividade de E&P, mais especificamente em Gâmbia, Guiné Bissau e Guiné Conacri. A TGS tem estado presente na Bacia MSGBC desde 2010, quando adquiriram um conjunto de dados 3D de Gâmbia. Desde então, suas atividades cresceram substancialmente; a TGS está atualmente conduzindo a pesquisa sísmica 3D Gambito 2030 na costa de Gâmbia, na região da Bacia MSGBC (https://bit.ly/3j0GToZ). A aquisição da TGS é o mais recente desenvolvimento no desejo da Gâmbia em explorar recursos costeiros e construir uma economia energética significativa. Além disso, no ano passado o governo assinou um contrato com a gigante BP para explorar petróleo e gás em sua costa.

Outros países na região MSGBC, como Guiné-Conacri (https://bit.ly/3vaZwLS), estão igualmente à procura de destacar o potencial de seus recursos naturais. Por exemplo, a criação do Ministério de Hidrocarbonetos está em linha com a forte ênfase governamental na valorização dos hidrocarbonetos. O Office National des Pétroles (ONAP) (http://onap.gov.gn/) de Guiné-Conacri está incumbido em auxiliar a estratégia do Ministério através do fornecimento de conhecimento técnico em operações upstream e downstream. A Guiné-Bissau também está trabalhando de forma ativa na execução de sua nova atividade de E&P em vários blocos costeiros que são operados por empresas como CNOOC e outras IOCs de tamanho médio em parceria com a empresa nacional de petróleo Petrguin E&P.

Energia Renovável

Além de liderar os países da Bacia MSGBC no desenvolvimento de hidrocarbonetos, o Senegal tem também emergido como um farol no desenvolvimento de projetos ambiciosos de energia renovável. Projetos fotovoltaicos e eólicos formam uma significativa contribuição para a diversificação do mix energético em Senegal e quase 30% da eletricidade produzida no país hoje vem de recursos renováveis de energia. Entre os grandes projetos estão a instalação eólica Taiba N’Diaye operada pela Lekela Power. O projeto foi concebido para gerar eletricidade por pelo menos 20 anos através de suas 46 turbinas eólicas.

Há também grandes oportunidades para realizar projetos de energia renovável na Guiné-Bissau, Guiné-Conacri e Gâmbia. Por exemplo, a Gâmbia recentemente revelou um projeto de €2.7 milhões chamado Potenciais de Energia Renovável na Gâmbia (PERGam). A iniciativa é financiada pelo Ministério Federal Alemão de Educação e Pesquisa.

A Guiné-Bissau (https://bit.ly/3ax9HRp) é também particularmente promissora para investimento em usinas de energia solar e projetos de geração de energia hidrelétrica. Recentemente, a Sinohydro da China começou a construção de uma das grandes usinas de energia solar em grande escala, com o objetivo de vender a energia para a empresa nacional de serviços públicos EAGB, sob um contrato de longo prazo, que triplicará a capacidade de geração de energia da empresa nacional de serviços públicos.

Ambiente de Investimento em Constante Melhoria

Em anos recentes, todos os países da Bacia MSGBC tem escalado rankings globais devido a melhorias contínuas em seus ambientes de negócios, ranqueados por instituições como o Ease of Doing Business (https://bit.ly/3ayg7iS) do Banco Mundial, Transparency International, a Iniciativa para a Transparência na Indústria Extrativista e a The Heritage Foundation. O Senegal é o melhor colocado em 123 de 190 países, seguido pela Mauritânia em 153, Gâmbia em 155, Guiné-Conacri em 156 e Guiné-Bissau em 174. Embora exista espaço para melhorias, assim como qualquer economia emergente de mercado, a tendência geral é positiva e estes países trabalham regularmente com o Fundo Monetário Internacional, o Banco Mundial, parceiros de desenvolvimento e a comunidade de doação internacional para continuar a construir instituições mais fortes e promover maior transparência em cada país.

Estabilidade Política e Segurança

Em comparação com muitos países da região do Sahel que possuem problemas bem constantes de segurança causados por grupos extremistas, ou outros na África Central e na Região dos Grandes Lagos, os países MSGBC como um todo se beneficiam de grande estabilidade política e a ausência de guerras civis ou insurgências armadas significativas. Segurança e estabilidade são de fundamental importância para investidores internacionais. 

Países como Senegal, em particular, tem um papel estratégico como uma zona de segurança do que analistas de segurança geralmente referem como ‘o arco da instabilidade’ que se espalha por grandes partes do Sahel e certos países da África Setentrional.

Até hoje, o Senegal continua a ter acordos com vários países europeus e membros da OTAN, dos quais possuem conselheiros militares no país e ajudam a treinar tropas senegalesas e o contingente de segurança. Em contrapartida, soldados senegaleses contribuem regularmente às missões de paz das Nações Unidas em âmbito regional e internacional, e são considerados como um dos corpos de soldados melhores treinados e mais profissionais em toda a África Subsaariana. Além disso, muitas das capitais dos países da Bacia MSGBC como Dacar, Banjul ou Nouakchott têm baixos níveis de crimes violentos graças à uma forte presença policial que atua como um poderoso obstáculo contra criminosos. Por fim, os países da Bacia MSGBC se beneficiam de uma tradição democrática consolidada onde transferências pacíficas de poder são a norma, e não a exceção.

Diversificação Econômica

A descoberta de petróleo e gás, e o desenvolvimento do setor petrolífero atualmente em curso em todos os países da Bacia MSGBC é um setor novo. Mas muito antes de sua ascensão, muitos destes países possuíam indústrias bem desenvolvidas como mineração de bauxita na Guiné-Bissau, ou prospecção de ouro, níquel e fosfatos em ambos o Senegal e Mauritânia. A Gâmbia e o Senegal têm uma rica gama de atrativos turísticos em suas belas praias na costa atlântica. Existem opções de acomodação de luxo e outras mais moderadas que permitem a descoberta de um patrimônio cultural e gastronômico variado e vibrante de cidades como Dacar, Banjul, Nouakchott, Conacri e Bissau. Portanto, embora grande parte de novos IDE na região MSGBC seja focado em projetos de petróleo e gás e energia renovável; investidores em potencial podem também contribuir para as estratégias de diversificação econômica em curso em cada um destes países e encontrar parceiros de classe internacional em uma grande gama de indústrias como o turismo. Para aqueles interessados em viagens de aventura e experiências únicas; safaris pelo deserto e passeios com camelos os esperam na Mauritânia. O Lago Rosa no Senegal, a arquitetura colonial de Saint Louis, ou os cruzeiros pelo Rio Podor são memoráveis devido a beleza natural e a biodiversidade única destes países. Independente de como o setor de energia progrida no futuro próximo, a hospitalidade e a cordialidade do povo da região MSGBC continuarão a ser as grandes atrações por anos à frente. 

Em resposta à crescente demanda por energia renovável e ao crescente interesse das partes interessadas internacionais em investir, desenvolver e ter sucesso na África, a Energy Capital & Power realizará a conferência e exposição MSGBC Oil, Gas & Power (https://bit.ly/2Xa2KCH)  2021 em 2-3 de dezembro de 2021. Focada no aprimoramento de parcerias regionais, estimulando o investimento e o desenvolvimento nos setores de petróleo, gás e energia, a conferência unirá as partes interessadas internacionais regionais com oportunidades africanas, servindo como uma plataforma orientada para o crescimento para o setor de energia da África. Saiba mais sobre a conferência aqui: The Energy Minute: MSGBC Oil, Gas & Power 2021 (https://bit.ly/30eNhSQ).

Distribuído pela APO Group em nome de Energy Capital & Power.